Os Benefícios da Comunicação Não-Violenta (CNV)

Os Benefícios da Comunicação Não-Violenta (CNV)

Laura Giordani

Laura Giordani

Redatora | Mestre em História e Cultura Visual, pesquisadora e leitora assídua dos mais diversos assuntos. Apaixonada por livros e artigos sobre História, estúdios de mídias e redação. Curiosa, adoro analisar as mídias visuais, a cultura pop e nerd, e como elas se encontram com nosso dia-a-dia e o que podemos aprender com elas.

Lidar e se comunicar com pessoas nem sempre é uma tarefa fácil, principalmente quando se está em uma relação empresa-profissional. Por vezes, a comunicação nem sempre é clara, fazendo com que mal-entendidos ocorram e que informações se percam no meio do processo, ou até mesmo que o uso de palavras cause desconfortos ou agressividade sem haver a intenção. Isso pode ser algo especialmente danoso no ambiente de trabalho, visto que a falhas no diálogo causam prejuízos no bem-estar e produtividade da equipe.

Uma boa maneira de evitar conflitos e situações desagradáveis é aplicar a Comunicação Não-Violenta (CNV), método desenvolvido pelo psicólogo americano Marshall Rosenberg, cujo objetivo é facilitar o diálogo sem a necessidade de culpar, ofender, coagir ou ameaçar o outro, assim proporcionando um bom convívio e melhoramento da produtividade. Segundo o CNV, uma comunicação violenta não precisa de insultos ou de agressividade para gerar desconforto, a expressão de sentimentos negativos ou de resistência é o suficiente para fazer com que a conexão com o outro seja rompida ou gere desconforto.

E como aplicar a CNV em um feedback? Separamos quatro passos a seguir:

Realize uma observação sem julgamento: Faça observações claras e sem julgamento, ausente de avaliações e análises, apenas contextualizando a presente situação aos envolvidos;

Expresse seus sentimentos: Depois de contextualizar os presentes a respeito da situação, revele quais sentimentos surgiram dela;

3º Exponha as necessidades: Apresente ao grupo quais necessidades não foram atendidas na situação;

4º Faça o pedido: Para encerrar, apresente os pedidos para reparar as necessidades e afastar os sentimentos negativos.

Por exemplo, diga “O serviço não foi entregue no prazo estipulado. Isso me deixa chateado já que tínhamos um compromisso a cumprir com o cliente. O que podemos fazer para que ele seja entregue até sexta?” ao invés de “O serviço atrasou, isso é inaceitável. Você é desorganizado, entregue até sexta ou medidas serão tomadas.”.

O exemplo citado acima diz a respeito uma situação específica a respeito de produtividade, não sendo a única maneira da CNV ser utilizada. A CNV pode ser usada diferentes conversas nos mais diferentes temas, tanto profissionais como casuais, afinal, os passos para aplicar esse método de diálogo são universais.

Também se pode aplicar a CNV em diferentes situações respeitando os itens abaixo:

  • Deixe claro que a pessoa não será culpada, e que não haverá punições, críticas ou julgamentos caso ela não atenda seu pedido;
  • Evite o uso de palavras vagas ou ambíguas. Procure realizar uma comunicação clara, que pode ser compreendida facilmente;
  • Use linguagem positiva e se livre de ideias e julgamentos pré- concebidos;
  • Enquanto está ouvindo, preste atenção às necessidades dos outros e evite aconselhar, competir pelo sofrimento, educar, consolar, encerrar o assunto, etc. Espere a pessoa terminar de falar;
  • Faça pedidos e solicitações de maneira clara, concreta e realista.

Aplicar a Comunicação Não-Violenta no ambiente de trabalho é um modo de diminuir a barreira entre colegas de trabalho, líderes e liderados. O seu uso possibilita o aumento da produtividade da equipe devido a segurança que o diálogo no modelo CNV provém, com isso, pode-se afirmar que as empresas e profissionais tem apenas a ganhar utilizando esse método.

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email