Dia do Trabalho

Dia do Trabalho

Giulia

Giulia

Assistente administrativo.

Em 1º de maio de 1886, trabalhadores norte-americanos foram às ruas de Chicago reivindicar direitos trabalhistas, como a diminuição da carga horária, que por vezes atingia 17 horas diárias, e melhores condições de trabalho. Aliada a paralisação geral das atividades laborativas no país, a manifestação ficou conhecida como Revolta de Haymarket. 

No dia 23 de abril de 1919, o Senado da França determinou o encolhimento da jornada diária de trabalho para 8 horas, além de declarar 1o de maio como feriado em homenagem às manifestações de Chicago. 

Entre o final do século XIX e o início do XX, realizaram-se os primeiros avanços de garantia trabalhista no Brasil, bem como a lei que impedia o trabalho para menores de 12 anos e normas relacionadas a garantia de 15 dias de férias a cada ano. Apesar de tardias, as medidas foram influenciadas pela Abolição da Escravatura, de 1888. 

Na Constituição de 1934, ganharam validade direitos trabalhistas muito importantes ao cumprimento das atividades profissionais, a exemplo da jornada de trabalho de 8 horas, férias remuneradas, repouso semanal, por exemplo. 

A CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) foi expedida em 1o de maio de 1943, unificando as leis do trabalho no encalço de atender às demandas do país em fase de desenvolvimento, que se mantém até os dias atuais sob edições. 

O Dia do Trabalho é feriado nacional no Brasil, Argentina, França, Rússia, Espanha, entre outros países. Nos Estados Unidos e Canadá o Labour Day, como o feriado é conhecido por lá, é comemorado na primeira segunda-feira do mês de setembro. 

Compartilhe

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email